Opinião de profissionais altamente qualificados sobre o vírus H1N1 e a vacina


Questionamentos sobre os efeitos adversos da vacina H1N1.

(ANO) O Brasil se prepara para vacinar mais de 90 milhões de brasileiros nas próximas semanas, embora a população ainda tenha dúvidas e questionamentos sobre os efeitos adversos da vacina. Neste momento torna-se necessário o empenho de especialistas e também das pessoas no esclarecimento dos reais riscos do vírus INFLUENZA H1N1 e as possíveis complicações referentes a vacinação em massa.

A imprensa e as “autoridades” da saúde neste momento tentam defender a vacinação contra a gripe suína qualificando como rumores e teorias da conspiração as informações que estão assolando a internet neste momento em que o Brasil começa uma vacinação em massa pela qual deve cobrir mais da metade da população do país.

Opiniões dos especialistas
Para dar mais conteúdo e veracidade a esta montanha de desinformação, leia abaixo opiniões de profissionais altamente qualificados sobre o vírus e a vacina.

Philip Alcabes, PhD

Qualificações: PhD em epidemiologia de doenças infecciosas pela Universidade Johns Hopkins Mestrados em bioquímica e saúde pública. Professor na Universidade de Yale e na Universidade da Cidade de Nova York.
“Houve um tremendo exagero com a ameaça representada pelo vírus H1N1 que acabou como uma espécie de galinha dos ovos de ouro para os fabricantes de vacinas e as empresas farmacêuticas”.
Fonte original em Inglês | Matéria em Português

Tom Jefferson, médico e epidemiologista

Qualificações: Formado pela Universidade de Pisa na Itália. Professor de Medicina Preventiva no Royal Defence Medical College em Gosport, Inglaterra. Foi diretor da Unidade de Saúde do Exército em Aldershot, Inglaterra. É atualmente coordenador do instituto Cochrane Vaccines Field. É também mestre em Saúde Pública.

“Há toda uma indústria esperando por uma pandemia ocorrer. Desta que indústrias fazem parte da OMS, os oficiais de saúde pública, virologistas e as companhias farmacêuticas. Eles construíram esta máquina ao redor das pandemias iminentes. E há muito dinheiro envolvido, e influência, e carreiras, e instituições inteiras. E bastou apenas um destes vírus de gripe sofrer mutação para este maquinário todo começar a funcionar.”

“A definição de pandemia foi alterada em Maio de 2009, retirando a parte que se referia a alta mobilidade, grande número de casos graves e mortalidade, de forma que esta nova definição poderia muito bem se encaixar com a gripe sazonal”

Fonte original em Inglês | Matéria em Português

Wolfgang Wodarg, chefe de saúde do Conselho da Europa

Qualificações: Chefe de saúde do Conselho da Europa. Médico formado pela Universidade de Hamburgo. Pós-graduado em medicina interna e pneumologia, em saúde pública, medicina social, medicina de higiene e ambiental na Alemanha. Formado em epidemiologia pela Universidade Johns Hopkins University em Baltimore, EUA. Professor na Universidade de Flensburg . Presidente do Rheuma-Liga de Schleswig-Holstein.

“O que tivemos foi uma gripe leve – e uma falsa pandemia.”

“Para continuar a avançar os seus interesses, as principais fabricantes de medicamentos colocaram ‘seu pessoal’ nas “engrenagens” da OMS e outras organizações influentes. Essa influência poderia ter conduzido a OMS a suavizar a sua definição de pandemia – levando à declaração de um surto mundial em junho passado.”

“A fim de promover os seus medicamentos patenteados e de vacinas contra a gripe, as empresas farmacêuticas influenciaram os cientistas e os órgãos oficiais, responsáveis pelas normas de saúde pública, para alardear os governos pelo mundo inteiro.”

Fonte original em Inglês | Matéria em Português

Kent Holtorf, médico e doutor

Qualificações: Médico, doutorado em medicina pela Universidade de St. Louis e especialista em doencas infecciosas.

“Eu me preocupo mais com a vacina do que com a gripe suína”

“Timerosal tem mostrado ser causa de autismo em crianças com disfunção mitocondrial”

Matéria e Vídeo em Português

Ron Paul, Médico e membro do congresso americano

Qualificações: Formado em biologia no Gettysburg College. Formado em medicina pela Duke University School of Medicine.

“Na gripe suína de 1976, a gripe veio e a gripe foi embora, e apenas uma pessoa morreu, exceto pelos indivíduos que morreram por terem tomado a vacina, além de muitos que ficaram doentes, até que finalmente tiveram que suspender o programa”.
Matéria e Vídeo em Português


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: